Um conto de fodas

Era Uma Vez Um Ogro. Esse gostava de jantar crianças, de nadar no rio e de zoar por aí. E também adorava foder. Especialmente com as fadas. Aqueles corpinhos pequetitos eram como se fossem uns quitutes de feira. E suas bucetinhas? Seu prato preferido. Pudins quentinhos.

Foi numa certa noite, depois de ter comido duas crianças e fodido com dois outros ogros (paus amigos) que ele encontrou Essa Uma. Uma fadinha branca. Desde Sininho, não se via uma criatura assim. Sabe carinha de pin-up? Sabe corpinho de pin-up? Sabe gostosuras de pin-up? Pois então.

Era Uma Vez Um Ogro não teve sequer meia hesitação. Já foi se encaixando por trás de Essa Uma, vestido com um dos seus melhores ares. Grunhiu, cheirou, passou cantada. Essa Uma, por sua vez, adorou. E pôs-se a verter mel pela bucetinha.

Era uma vez um ogro que caiu de boca na buceta de uma fadinha branca. Pense num ogro metido ali, bebendo dali.  Só fodiam, esses dois. Era uma vadiagem só. Um era o número do outro, esse é que era o caso. E é por isso que fica difícil contar essas fodas. É que os dois foderam incontáveis vezes.

2 Comentários

Arquivado em Bestiário

2 Respostas para “Um conto de fodas

  1. Hetera

    aahhh e quem quiser que conte outras fodas, que se vê, que se sente… hahaha. gostei dessa… funciona assim com os ogros..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s