Um roteiro sobre cachorro, sexo e relacionamentos

Dizem que bichos e seus donos se parecem. Adriano e o seu cachorro não se pareciam. Nem um pouco, aliás, Adriano sendo um cara alto e esguio e o cachorro um tipo trêmulo de pequenês. Nada em comum entre o dois, um apenas tolerava o outro. Existiam momentos de franca cooperação, no entanto, e isso acontecia quando Adriano passava mel no pau pro cão lamber.

Isso teve início quando o cachorro, adolescente e nervoso, ficava rodeando, alardeando, cheirando enquanto Adriano batia a punheta da noite. Pois uma noite o cão lambeu a porra bem em cima da cabecinha do pau de Adriano, ele ainda dando leite. O moço então sucumbiu sem luta à ideia mais perversa de todas. O mel foi a solução mais ligeira e o cão fez o esperado. Tudo deu ultra certo muitas e muitas vezes. Até hoje. Até inda agora, momento em que Adriano revela a trama ao novo namorado amadíssimo, o Odair, que está realmente puto com o cachorro indócil rodeando os dois homens nus. A câmera por cima, etnográfica:

– O que que você disse, Adriano?

– Amor, ele gosta, ele não passa mal, entendeu? Ele se amarra, na real.

– Adriano, você tá me dizendo que você passa mel no seu pau pro teu cachorro te lamber?

– Oddie, escuta. O cachorro é saudável, isso aí da tremedeira é da raça, confia em mim, eu jamais machucaria o bichinho. Eu? Boto só umas gotinhas só pra ele curtir, sacou?

– Adriano, meu amor, você entende que isso pra ele não é sexo, que ele é um animal comendo, fazendo uma refeição doce, você entende isso, certo? Essa parte você entende?

– Ah isso aí eu não sei não, parece que ele gosta sim, quem é você pra dizer que não, Oddie? Olha a arrogância.

– Sem falar nos problemas sanitários, meu deus – eu botei a boca nesse pau, senhor! Vamos ter que afundar você e minha boca no álcool gel, Adriano!

– Olha o exagero, hein? Tá exagerando, tá dramatizando!

– Adriano, presta atenção: ou ele ou eu, eu não vou dividir cama nem macho com cachorro, ok?

Odair se levanta resoluto em direção ao banheiro. A luz cai, tipo poste vacilando. Uma música suave começa a tocar lá fora e o cão, desimpedido, passa a lamber nervosamente o restinho de porra no pau de Adriano. Esse, com lágrimas nos olhos e o cu na mão, se dirige ao cachorro pela primeira vez, coçando a sua cabecinha:

– Contei, Bobi. E agora, hein, o que que a gente vai fazer?

Sobem os créditos.

Salvar

1 comentário

Arquivado em Bestiário

Uma resposta para “Um roteiro sobre cachorro, sexo e relacionamentos

  1. Agata, sua sem-vergonha! hahahahahahadoreeei! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s